Locação de Escoramento Metálico em Santos – Baixada Santista – Litoral

Informativo Deleuse


Cuidados no recebimento e devolução das peças de escoramento

Atualizado em 30/08/2010

O sistema de escoramento metálico é composto por elementos de aço ou alumínio que servem de apoio às fôrmas para concreto com a função de sustentar as cargas e sobrecargas da estrutura e transferi-las ao chão ou ao pavimento inferior. O sistema pode ser usado em diversos tipos de obras – edifícios, obras industriais, barragens – e nas mais variadas aplicações – blocos de fundação, cortinas, pilares, vigas, lajes etc.

Embora a maior parte dos construtores opte pela locação desse material, o projetista Nilton Nazar, sócio-diretor da Hold Engenharia, afirma que a compra não é uma má opção quando se pensa no longo prazo: “É um investimento alto que leva anos para ser diluído e implica manter um galpão para fazer manutenção, repintar, engraxar, trocar peças, desamassar etc. Esse custo tem que ser levado em conta. Em compensação, a vida útil é muito longa”.

Haroldo Miller Júnior, presidente da Abrasfe (Associação Brasileira das Empresas de Fôrmas e Escoramentos), complementa: “Na locação, estão embutidos ainda os custos de projeto, assistência técnica e administração dos materiais. Comprar ou locar dependerá do tipo de obra, do prazo de utilização e da estrutura da empresa”.


Especificações

Os principais componentes do sistema de escoramento são as escoras pontuais, as torres e as vigas. As peças são distribuídas conforme projeto e dimensionamento específicos, e sua combinação pode variar para atender às particularidades de cada aplicação, seja um edifício ou uma obra de construção pesada. As torres, por exemplo, são usadas para vencer pés-direitos mais altos e possuem capacidade de carga superior às escoras.


Cotações de preços e fornecedores

Geralmente, o projeto de escoramento é feito pelo próprio fornecedor, portanto, é aconselhável contratar o sistema de dez a 15 dias antes da data prevista para o uso. No caso de obras de grande porte, esse prazo pode se estender para até um mês. Deve-se exigir do fornecedor a garantia dos equipamentos e o recolhimento da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) do projeto.

Segundo Nilton Nazar, no contrato de locação é importante dar atenção aos custos de reposição de peças eventualmente danificadas ou extraviadas. Esses valores podem ser muito superiores ao custo de aquisição, pois levam em conta o lucro cessante – ou seja, o extravio ou dano do material impede a empresa locadora de lucrar com outros aluguéis.


Logística

Embora os fornecedores de escoramentos estejam mais concentrados nas regiões Sul e Sudeste do País, há filiais e representantes que atendem a todo o território nacional. Na escolha, é importante, “em primeiro lugar, optar por uma empresa com comprovada capacitação técnica e fornecer todos os projetos [da estrutura] e os cronogramas de utilização de material”, aconselha Haroldo Miller.

O equipamento é retirado pelo locatário no depósito do fornecedor e deve ser contado e conferido no ato da entrega. “Os fornecedores têm pedido que um fiscal da construtora vá até o depósito e acompanhe o material até o canteiro. Se isso não for possível, o material deverá ser conferido minuciosamente no local da obra, com a fiscalização da construtora e do fornecedor”, adverte Nazar.

Caso haja alguma irregularidade nas peças entregues, o fornecedor deve ser contatado imediatamente, para que o locatário não seja obrigado a pagar indevidamente por mau uso. O material não pode apresentar soldas trincadas nem corrosão; a pintura ou galvanização devem estar conservadas; as roscas, lubrificadas, e as peças não podem estar deformadas, empenadas ou apresentar resíduos de argamassa ou concreto.

O transporte fica a cargo do locatário e os componentes devem ser organizados, de preferência, em paletes. As peças menores, de fácil extravio e alto custo de reposição, devem ser transportadas e armazenadas em caixas ou sacos e, após a execução de cada pavimento, devem ser recolhidas de volta ao recipiente para prevenir perdas ao longo da obra.

O armazenamento deve ser feito em local fechado, com acesso controlado por uma só pessoa – normalmente, o almoxarife da obra – a fim de se evitarem furtos. Após o uso, recomenda-se lavar as peças para eliminar restos de concreto e argamassa. Engraxar as roscas é outra medida preventiva que pode ser adotada.


Cuidados durante a instalação

A montagem do cimbramento é feita pela equipe da construtora, sob supervisão técnica do fornecedor. O projeto de montagem deve ser seguido rigorosamente com relação ao posicionamento das torres, escoras e vigas, obedecendo aos espaçamentos máximos determinados. Haroldo Miller conta que os erros mais comuns se devem a adaptações na montagem, desrespeitando o projeto do fornecedor.

A qualificação da mão de obra é outro ponto crítico, bem como erros na execução de travamentos e erros na sequência de montagem. O professor da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Bruno Ribeiro, lembra ainda que é preciso verificar as condições do piso e, em terrenos sem contrapiso, utilizar placas de apoio.

Fonte: Site Pini

Dicas Deleuse